Nome de Utilizador
Senha de Acesso
Login
CUF Descobertas Hospital
Menu

Vacinação

Vacinas pediátricas

A vacinação é a única forma de prevenir doenças infeciosas. Com as vacinas, a imunidade (as defesas) da criança é estimulada de modo a não contrair doenças quando exposta ao agente infeccioso.

 

Nota: A vacinação na CUF Descobertas está apenas disponível para crianças seguidas na unidade CUF Descobertas.

No dia da Consulta de Pediatria do seu filho, este poderá fazer as vacinas sem necessidade de marcação, trazendo o boletim de vacinas e o número do Sistema Nacional de Saúde (SNS).

Caso não tenha consulta marcada, e o seu filho necessite de fazer uma vacina, deve proceder atempadamente à sua marcação (presencial ou por telefone), trazendo a prescrição da vacina (se for fora do plano nacional de vacinação) e os documentos acima mencionados.

 

O que é o Programa Nacional de Vacinação (P.N.V)?

É o esquema de vacinação proposto para toda a população, em que as diferentes vacinas e doses são distribuídas ao longo dos anos, desde o recém-nascido.
“É um programa universal, gratuito e acessível a todas as pessoas presentes em Portugal. Apresenta esquemas de vacinação aconselhados, constituindo cada um deles uma receita universal.” PNV 2012

 

Esquema Recomendado

Siglas utilizadas para a designação das vacinas

BCG – Vacina contra tuberculose; VHB – vacina contra Hepatite B; DTPaHibVip – vacina pentavalente contra Difteria, Tétano, Tosse convulsa, Poliomielite e Hemophilus influenzae b; DTPaHib – vacina contra Difteria, Tétano, Tosse convulsa e Haemophilus influenzae b; DTPaVIP – vacina contra a Difteria, Tétano, Tosse convulsa e Poliomielite; MenC – vacina contra Neisseria meningitidis C (meningite); VASPR - Vacina contra sarampo, papeira e rubéola; HPV - Vacina contra vírus do Papiloma humano; Td - Vacina contra o tétano e a difteria.

 

Reacções às Vacinas

“As vacinas têm um elevado grau de eficácia, segurança e qualidade, sendo exigida uma certificação lote a lote.” PNV 2012

 

1.Vacina da BCG

  • A administração da vacina provoca uma pápula que desaparece ao fim de 20-30 minutos.
  • Nos dias seguintes:
  • O banho é permitido assim como todos os cuidados de higiene habituais no dia da vacinação e durante toda a evolução desta.
  • Verifica-se a formação de um pequeno nódulo vermelho que gradualmente se transforma numa pequena vesicula, com serosidade no meio. Em 2 a 4 semanas a vesicula transforma-se numa úlcera que cicatriza em 2 a 5 meses, ficando uma pequena cicatriz.
  • A lesão vacinal não requer qualquer tratamento ou penso.

 

2.Vacinas do VHB, DTPaHibVip, DTPaHib, DTPaVIP; MenC, Td

  • Efeitos Locais:
  • Dor, rubor (vermelhidão), enduração e edema (inchaço).
  • Em vacinas que contenham o componente DTPa ou Td, pode aparecer um nódulo indolor no local da injeção que é reabsorvido ao longo de várias semanas.
  • Efeitos sistémicos (generalizados): febre, irritabilidade, sonolência, diminuição do apetite, vómitos, diarreia, que habitualmente desaparecem ao fim de 48-72 horas.

 

3.Vacina contra a VASPR

  • Efeitos locais: iguais aos anteriores.
  • Efeitos sistémicos (generalizados): entre o 5º e os 12º dias podem surgir: febre (> 39.4ºC) e/ou exantema (borbulhas), auto-limitados, de curta duração (1 a 2 dias)

Recomenda-se: administração de paracetamol em SOS em caso de febre ou irritabilidade. Gelo, protegido por um pano, no local da administração cerca de 5 a 10 minutos por hora, em caso de dor ou edema.

 

Contraindicações às vacinas

  • Reacção anafiláctica a uma dose anterior de vacina ou algum constituinte da mesma;
  • Vacinas vivas em doentes com imunodeficiência grave e em grávidas (BCG, VASPR, Rotavírus, Varicela);
  • No caso da vacina de tosse convulsa, se surgiu encefalopatia nos 7 dias seguintes à toma anterior, sem outro motivo aparente.

 

Falsas contra-indicações à realização de vacinas

  • Doença aguda (ex. diarreia, constipação), com ou sem febre;
  • Estar a tomar medicamentos (excepto medicamentos que deprimam imunidade);
  • Ter doença crónica;
  • Ter familiar com reacção grave à vacina
  • Alterações hemáticas

 

Vacinas fora do P.N.V.

Estas vacinas estão disponíveis no serviço de vacinação do hospital CUF Descobertas. Aconselhe-se junto do seu pediatra quanto à sua administração, o qual passará uma prescrição com o nome da vacina e esquema a seguir. Fazendo-se acompanhar da prescrição médica e boletim de vacinas, planeie com a equipa de enfermagem a administração das vacinas do seu filho.

Caso opte por comprar a vacina fora do hospital, relembramos que estas devem permanecer sempre no frio, devendo ser transportadas em equipamento técnico. Aquando a chegada à consulta devem ser entregues à Sra. auxiliar para que esta a coloque no frigorifico da consulta.

 

1-Vacina contra Doença invasiva pneumocócica

Exemplo: Prevenar 13.

  • Esta vacina ajuda a proteger a criança contra a meningite (inflamação à volta do cérebro), bacteriemia ou septicémia (bacteria na corrente sanguinea) pneumonia e otites, causadas por 13 tipos da bactéria Streptococcus pneumoniae.
  • Possíveis efeitos Sistémicos e locais:

Os mesmos que mencionados para as vacinas VHB, DTPaHibVip, DTPaHib, DTPaVIP; MenC, Td.


2-Vacina contra o Meningococo do grupo B

Exemplos: Bexsero

  • Esta vacina ajuda a proteger a criança/adolescente/ adulto contra doença meningocócica invasiva causada por Neisseria menintigitidis do grupo B.
  • Consoante a idade de início da imunização, assim varia o número de doses desta vacina que a criança necessitará. Aconselhe-se com o seu médico assistente quanto ao esquema vacinal a seguir.
  • Possíveis efeitos sistémicos: sonolência, irritabilidade, alterações do apetite, febre. Nos adolescentes podem ocorrer náuseas, dores musculares e cefaleias.
  • Possíveis efeitos locais: dor, eritema e edema no local da injeção.


3-Vacina contra Rotavírus

Exemplos: Rotateq (o esquema é composto por 3 doses) e Rotarix (o esquema é composto por 2 doses).

  • Trata-se de uma vacina oral que ajuda a proteger os bebés e crianças pequenas contra gastroenterites provocadas pelo rotavírus.
  • Possíveis efeitos sistémicos

Diarreia, vómitos, febre, perda de apetite, irritabilidade.

  • Cuidados a ter

Até dez dias após a vacinação com Rotateq ou Rotarix aconselha-se uma cuidada higiene das mãos a cada muda de fralda, uma vez que pode haver excreção de vírus vivos da vacina nas fezes, podendo desencadear no cuidador sintomas de gastroenterite.

 

4-Vacina contra Hepatite A

Exemplos: Havrix (junior e adulto) e Epaxal.

  • A vacina contra a hepatite A pode ser feita a partir dos 12 meses, sendo compostas por 2 doses, separadas por 6 meses a um ano.
  • Possíveis efeitos secundários

Os mesmos que mencionados para VHB, DTPaHibVip, DTPaHib, DTPaVIP; MenC, Td.

 

5-Vacina contra Varicela

Exemplos: Varivax e Varilrix.

  • Pode ser feita a partir dos 12 meses.
  • A vacinação contra a varicela requer duas doses. Para crianças dos 12 meses aos 12 anos, recomenda-se um intervalo mínimo entre doses de 3 meses. A partir dos 13 anos o intervalo deve ser de 4 a 8 semanas (Varivax) ou de 6 a 8 semanas (Varilrix).
  • Possíveis efeitos secundários:

Os mesmos que mencionados para VHB, DTPaHibVip, DTPaHib, DTPaVIP; MenC, Td.

  • Cuidados especiais:

Durante 6 semanas, após a vacinação, deve ser evitado o contacto próximo com indivíduos de alto risco, nomeadamente: imunocomprometidos, mulheres grávidas que nunca tenham tido varicela, recém-nascidos cujas mães nunca tenham tido varicela.

 

6-Vacina contra Vírus da Gripe

A organização mundial de Saúde (OMS), monitoriza, continuamente, a infecção pelo vírus da gripe em diferentes locais do mundo, fazendo recomendações anuais sobre os tipos de vírus que devem ser incluídos nas vacinas em cada ano.

Por se tratar de uma vacina fora do PNV, o seu médico determinará a necessidade desta ser administrada ao seu filho.

  • Esquema vacinal:

Esta vacina pode ser feita a partir dos 6 meses de idade.
A taxa de anticorpos protetores é obtida 10 a 14 dias após a administração e persiste cerca de 6 a 8 meses.
Recomenda-se a sua administração nos meses de Outubro e Novembro.

 

Idades Doses Observações
6- 35 meses 0.25 ou 0.5 ml, dependendo do fabricante Dos 6 meses aos 8 anos:
- Administrar 2 doses separadas por 4 semanas.
Aplica-se nos casos em que:
- Não tiverem sido anteriormente vacinados contra a gripe.
- Não receberam pelo menos uma dose de vacina Influenza A (H1N1), independentemente da história vacinal anterior.
3-8 anos 0.5 ml
> 9 anos 0.5 ml ---

 

  • Possíveis efeitos sistémicos:

Febre baixa, 6 a 24 horas após a administração.

  • Possíveis efeitos locais:

Eritema (vermelhidão) e dor no local da injecção.

 

7-Vacina contra o HPV

Exemplos: Gardasil e Cervarix 

Gardasil

  • Esta vacina confere proteção contra 4 serotipos do papiloma vírus humano.
  • A Gardasil faz parte do plano nacional de vacinação para as raparigas no ano em que fazem os 13 anos de idade.
  • Contudo, esta vacina pode ser feita, como extra-plano, a meninas/mulheres dos 9 aos 45 anos e a rapazes dos 16 aos 26 anos, de acordo com indicação clínica do médico assistente.
  • A imunização é composta por 3 doses no esquema de 0,2 e 6 meses, devendo estar completo no máximo em um ano.

Cervarix confere protecção contra dois serotipos do HPV recomendando-se o seguinte esquema vacinal: 0, 1 e 6 meses.

  • Possíveis efeitos locais: 

Dor, rubor e edema (inchaço).

  • Possíveis efeitos sistémicos:

Febre moderada, cefaleias e tonturas.


 

Ana Filipa Silva

Enfermeira, Consulta de Pediatria, hospital CUF Descobertas